Avô salva netinho de 1 ano, cobra já estava enrolada em volta do corpo do bebê

Na Austrália, uma mãe entrou em desespero quando viu uma cobra enorme se enrolando em seu filho, que tem apenas 1 ano e 10 meses de idade. Amanda Rutland mora em Queensland, Austrália e estava conversando tranquilamente com sua mãe, enquanto os dois filhos brincavam do lado de fora da casa. O mais velho tem 3 anos e ficou na varanda, enquanto a novinha foi se afastando. De repente, ela notou que tinha algo acontecendo e correu para ver o que era, já imaginando na possibilidade de ser uma cobra.

E a suspeita dela, infelizmente foi confirmada, Amanda viu que tinha uma phyton, uma cobra medindo cerca de 4 metros, que cravou suas presas no antebraço da criança e começou a se enrolar no bebê, para estrangulá-lo, como faz com suas vítimas.

Desesperada, a mãe correu para chamar o pai, gritando que tinha uma cobra devorando seu filho. O senhor não pensou duas vezes quando viu o netinho prestes a ser devorado, Ronald pegou a cabeça da cobra e começou a apertá-la com muita força, tentando obrigá-la a parar de morder o bebê, só que esta estratégia não estava dando nenhum resultado. Para complicar a situação, a cobra começou a se enrolar também no braço do senhor.

O avô então pegou uma faca e começou a golpear a cobra por trás, tentando atingir a espinha do animal e foram vários golpes deferidos até que a cobra soltasse ele e também a criança.

A mãe abraçou o filho emocionada, chorando e agradecida por tê-lo em seus braços com vida. Ela contou que algumas vezes viu cobras pela sua propriedade, porém, sempre evitou matá-las. Amanda contou que infelizmente, desta vez foi preciso matar o animal para que ela não matasse o filho e também o pai. Somente após cortar a cabeça da cobra é que o senhor conseguir fazer com que ela continuasse sua investida fatal.

A criança e seu avô estão passando bem, eles foram levados até o hospital mais próximo e todos os exames mostraram que eles não têm nenhum ferimento mais grave, apenas as marcas nos braços, mas que com o tempo desaparecerão.