Efeito Tiririca: deputados precisarão atingir determinado número de votos para se eleger

Diferente do que acontecia nos anos anteriores, agora o voto na legenda pode acabar prejudicando os candidatos a deputados estaduais e federais. Isso acontecerá porque agora eles precisam ter pelo menos 10% do quociente eleitoral para garantirem uma cadeira nos parlamentos.

Isso significa que um partido que tenha muitos votos na legenda, mas que conseguiu poucos votos diretamente para os candidatos acabará perdendo espaço.

São dois modelos de votação, o voto majoritário, é o que elegerá neste ano um presidente, governadores e senadores. Já para a Câmara Federal e as Assembleias Legislativas, é aplicado o modelo proporcional, onde inicialmente os votos dos eleitores vão para os partidos ou coligações, pois são os votos totais de cada um que definirá quantas cadeiras cada partido obterá no Parlamento. A partir daí, as cadeiras conquistadas pelo grupo são ocupadas pelos candidatos que tiveram o maior número de votos.

Esse modelo resulta nos chamados ‘puxadores de votos’”, sendo que o exemplo mais conhecido é o humorista Tiririca, nome de Francisco Everaldo Oliveira Silva, que em 2014 obteve mais de 1 milhão de votos como deputado federal por São Paulo.

Graças ao Tiririca, sua coligação ganhou cinco cadeiras, e candidatos que obtiveram menos votos e que não seriam eleitos caso contassem apenas os votos totais acabaram garantindo uma colocação.

O que muda nas Eleições 2018

Para tentar diminuir os efeitos dos ‘puxadores de votos’, foi determinada uma porcentagem mínima que os candidatos precisam alcançar para serem eleitos.
O cálculo corresponde a 10% do quociente eleitoral.

Mudança para as Eleições de 2020

Até este ano, os partidos ainda podem se coligar para as eleições proporcionais. Com isso, o quociente eleitoral é calculado para toda a coligação, o que permite que candidatos de partidos diferentes ‘puxem’ outros, desde que estejam coligados.

A partir das eleições municipais de 2020, os partidos não poderão mais se coligar na disputa das vagas para deputados (federais, estaduais e distritais) e vereadores.

Outra novidade que o Senado aprovou para essas eleições foram cláusulas de desempenho eleitoral para que os partidos políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão.

A cláusula de barreira, determina que só terá direito ao fundo e ao tempo de propaganda a partir de 2019 o partido que tiver recebido ao menos 1,5% dos votos válidos nas eleições de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos nove unidades da federação, com um mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas.

Veja também

Horário de Verão 2018 é adiado mais uma vez, saiba quando irá começar