Família Testemunha de Jeová tenta impedir transfusão de sangue em bebê, mas Justiça Autoriza e causa polêmica







Uma grande polêmica foi formada após uma família tentar impedir a transfusão de sangue em um bebê. Só que a Justiça de São José do Rio Preto, em São Paulo, autorizou que a criança que tem apenas 11 dias de vida receba transfusões de sangue.

O bebê é de uma família que segue a religião Testemunha de Jeová e os responsáveis quiseram impedir que o procedimento fosse realizado.

A mãe do bebê chegou a escrever uma declaração onde assumiu os riscos depois de ser orientada por uma equipe médica. O bebê teve uma hemorragia no estômago, entrou em quadro grave de anemia e precisava de sangue urgentemente.

Se a transfusão não fosse realizada, o quadro de saúde do bebê ia piorar e provavelmente a criança morreria. De acordo com os médicos da Santa Casa, a criança ia correr risco de vida.

Mesmo assim, sabendo de todos os riscos e gravidade, não autorizo as transfusões”, avisou a mãe da criança.

Por causa da decisão da mãe, a unidade de saúde entrou com um pedido de tutela antecipada alegando que o procedimento era essencial para que a criança não morresse e o juiz responsável acatou o pedido. O magistrado explicou que o direito à vida vem em primeiro lugar em contraponto com o direito à crença e culto religioso.

Preservada a garantia constitucional do direito à crença e culto religioso, o direito à vida é de ser tutelado em primeiro lugar pelo Estado, dada ordem de grandeza que envolve um e outro direito, evidenciando a presença do fumus boni juris”, disse o juiz.

Felizmente, o bebê passou pelo procedimento, seu quadro ficou estável e ele segue sendo sendo acompanhado pela equipe médica.






DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui